Eleição dos Autodefensores para o período de 2020 a 2022

O Programa de Autogestão, Autodefensoria e Família faz parte do serviço de Garantia e Defesa de Direitos da Federação Nacional das APAEs. Trata-se de uma representação das Pessoas com Deficiência que segue o princípio da cidadania e da autonomia que reafirma que a própria pessoa com deficiência deve falar por si mesma, expressar suas opiniões, ideias e defender seus direitos conforme a máxima “Nada sobre nós, sem nós”. Seguindo este princípio a APAE de Mantena promoveu um processo de preparação para as eleições dando formação às pessoas com deficiência aptas a votar e serem votadas (todos os atendidos pela escola e projetos da APAE que sejam maiores de 16 anos) afim de despertar neles o desejo de participar do processo eleitoral. Quatro casais se candidataram. A Assembleia geral de eleição foi realizada no dia 28 de novembro, os casais candidatos foram identificados pelas cores: azul, vermelho, laranja e amarelo. Cada chapa fez o uso da palavra por 4 minutos para apresentar suas propostas. Em seguida foi explicado como se daria o processo de votação e na sequência iniciou-se a votação com auxílio das Assistentes Sociais Elizabete Pires da Mota e Celia Ramos da Silva Baia. Encerrando a votação reuniu-se novamente a Assembleia para acompanhar a apuração dos votos e a publicação dos seguintes resultados: com 19 votos eleito o casal de Autodefensores Titular a chapa vermelha formada por Rafael Vieira Lopes e Aline Ramilo Domingos; Com 12 votos eleito o casal de Autodefensores suplentes a chapa azul formada por Robson Olímpio de Lima Yasmin Letícia Gonsales; com 05 votos a chapa amarela formada por Daniel Manoel Sobrinho e Miquele Souza Silva e com 03 votos a chapa Laranja formada por Wallacy de Souza e Jaqueline Pereira. Não houveram votos brancos ou nulos. Proclamados os resultados, os vencedores fizeram seu discurso assumindo diante dos colegas o compromisso de defender os interesses da pessoa com deficiência e agradeceram  o voto de confiança que receberam. Neste momento foi aberta a palavra para que todos para mostrassem as principais dificuldades enfrentadas pela pessoa com deficiência em nossa cidade. Os desafios mais comentados se referem à falta de acessibilidade do comércio e lugares públicos e a dificuldade encontrada em muitas famílias que não estão preparadas para lidar com a pessoa com deficiência e garantir sua liberdade e sua autonomia, situação que muitas vezes é causada pela superproteção e pela infantilização da pessoa com deficiência, o que impede a sua liberdade e atrapalha a construção de seus projetos de vida. Os eleitos iniciam seu mandato em janeiro de 2020. Ao encerrar o trabalho o casal de autodefensores que está deixando o cargo Robson Antônio e Andreia Martins ressaltaram que muitas são as reivindicações que já foram reportadas à sociedade, às famílias e ao poder público em várias oportunidades, porém, a obrigação de executar políticas públicas que garantam estes direitos continua sendo do poder público, portanto, não é missão do Autodefensor executar os direitos, apenas defendê-los.